Carta ao Presidente da Associação Catarinense de Psiquiatria

 

Ensaios e Crônicas – Carta ao Presidente da Associação Catarinense de Psiquiatria

Ilmo. Dr. Géder Grohs
Presidente da Associação Catarinense de Psiquiatria

Florianópolis, 18 de Agosto de 1999.


Prezado Senhor,


Agradecido, gostaria de acusar o recebimento de sua carta datada de 16/07/99 (recebida em 15/08/99), onde o senhor faz comentários relacionados com artigo de minha autoria publicado recentemente em Arquivos Catarinenses de Medicina. Nesta revisão sobre Demência e suas causas em nossa sociedade, ficou evidente a inspiração proporcionada por alguns anos de convivência na colônia psiquiátrica Santana.

Por outro lado, o senhor fala em …palavras para reparar a injustiça de uma agressão generalizada e blá…blá…blá. O tom lamurioso utilizado sugere que o senhor, seus colegas e a instituição em questão foram ofendidos por mim. Entretanto, o que gostaria de tornar bem claro é que não considero o senhor, nem seus colegas igualmente identificados com o modelo e tão pouco a casa de horror, como vítimas. Na verdade, os senhores e a instituição macabra que propicia o confinamento de desgraçados com diversas desordens mentais, são os reais algozes de uma gente pobre considerada injustamente escória social. Ofende particularmente a mim, ver colegas, muitos dos quais com péssima formação acadêmica, aceitarem passivamente a função de carcereiros sociais.

Senhor Grohs, próximo ao novo milênio, lamento a sua profunda falta de percepção ao insistir na defesa de um modo tão fraudulento no tratamento de pessoas em dificuldades psíquicas. É bem verdade que a patuléia impregnada de preconceito, filho bastardo da mama ignorância, irá dar suporte ao seu ideal medíocre de transformar a famigerada colônia psiquiátrica em um IPQ. Presumo que o idealizador da mudança do nome fantasia, tinha por objetivo apagar da memória popular seu passado lúgubre; todavia, mais original seria, como sugiro em meu artigo singelo, chamá-la pela auto-explicativa sigla de IPQP.

Finalmente, gostaria de lhe dizer que é bastante provável que não tenha correspondido ao desejo expresso em sua comunicação; contudo, como reacionários estúpidos grassam em nossa sociedade, algum deles haverá de lhe emprestar solidariedade. Aliás, observando as pessoas a quem o senhor dirigiu cópias da sua carta, reconheço que suas chances são grandes; pois de um deles, alguns anos atrás escutei esta pérola… histéricos na emergência do nosso hospital eram tratados com imobilização tipo Velpeau e… fleet enema. Logo, o senhor está no caminho certo. Torço para que em futuro breve encontrem seu destino: um tribunal popular para o julgamento das atrocidades cometidas pela psiquiatria ortodoxa e seus seguidores ao longo dos últimos séculos.

Consternado, por ver um profissional jovem envolvido com causa tão sórdida, despeço-me enviando-lhe meus sinceros votos de pronta recuperação do juízo crítico.

Prof. Paulo Cesar Trevisol Bittencourt


P.S.: 1. Por favor, no caso improvável de uma resposta, peço-lhe a fineza de não mais utilizar meu endereço particular. Tenha a educação de usar o endereço oferecido no artigo publicado. Dentre outras vantagens, talvez ela chegue mais rápido. Saliento que uma cópia desta será enviada ao Dr. Nicolau Kruel, profissional correto e brilhante, vítima de comentários deselegantes por parte de lixo humano metamorfoseado de médico.

2. Sugiro gastar sua energia estudando e pesquisando com mais afinco. Por exemplo, o senhor e seus colegas poderiam brindar a sociedade catarinense com um estudo original …óbitos e suas causas no hospício desde sua fundação até a mudança para IPQP. O Centro de Estudos do HU/UFSC forneceria todo apoio necessário.